Free website - Powered By Wix.com
Olhar/Mosaico em perspectiva de práticas e conhecimentos, políticas e artes africanas/diaspóricas. Apenas um biocaminho na esfera. Afim de experimentar toques e palavras, sons e ruídos, notas tortas e dissonâncias. Apalpando e sorvendo quase tudo, no cosmo, na Américafrolatina, quase na beira do Atlântico.Por desvelar e re-conhecer as partes e o todo na busca do estar pleno no mundo, enquanto for.

SILVA, Salloma Salomão Jovino da. Bio-caminho

salloma Salomão Jovino da Silva, "Salloma Salomão é um dos vencedores do CONCURSO NACIONAL DE DRAMATURGIA RUTH DE SOUZA, em São Paulo, 2004. Professor da FSA-SP, Produtor Cultural, Músico e Historiador. Pesquisador financiado pela Capes e CNPQ, investigador vistante do Instituto de Ciências Socais da Universidade de Lisboa. Orientações Dra Maria Odila Leite da Silva, Dr José Machado Pais e Dra Antonieta Antonacci. Lançou trabalhos artíticos e de pesquisa sobre musicalidades negras na diáspora. Segue curioso pelo Brasil e mundo afora atrás do rastros da diápora negra. #CORRENTE- LIBERTADORA: O QUILOMBO DA MEMÓRIA-VÍDEO- 1990- ADVP-FANTASMA. #AFRORIGEM-CD- 1995- CD-ARUANDA MUNDI. #OS SONS QUE VEM DAS RUAS- 1997- SELO NEGRO. #O DIA DAS TRIBOS-CD-1998-ARUANDA MUNDI. #UM MUNDO PRETO PAULISTANO- TCC-HISTÓRIA-PUC-SP 1997- ARUANDA MUNDI. #A POLIFONIA DO PROTESTO NEGRO- 2000-DISSERTAÇÃO DE MESTRADO- PUC-SP. #MEMÓRIAS SONORAS DA NOITE- CD - 2002 -ARUANDA MUNDI #AS MARIMBAS DE DEBRET- ICS-PT- 2003. #MEMÓRIAS SONORAS DA NOITE- TESE DE DOUTORADO- 2005- PUC-SP. #FACES DA TARDE DE UM MESMO SENTIMENTO- CD- 2008- ARUANDA SALLOMA 30 ANOS DE MUSICALIDADE E NEGRITUDE- DVD-2010- ARUANDA MUNDI.

terça-feira, 29 de abril de 2014

Arcaico Engenho de bananas e balas.

"Entre as bananas e balas, digo chacinas patrocinadas pelo estado, para que tenhamos mais bananas, mais chicanas e menos cidadania. Neymar posa com bananas e a maldição de cã, criança salva, cria lava. alva e vera. Só se volta para o espelho quando apaga a luz dos estádios. E quando se apaga a luz da consciência negra?. A luz dos estádios ofusca os olhos, não ilumina sequer os mais retintos, nem Pelé, alcança o gesto, só sinceramente chorou quando seu menino foi encarcerado. Pobre garoto negro rico de paternidade tola. De resto ele Pelé é péssimo ator, nem diante de Dondinho quando não havia o circo do futebol. Negros eram negros e os meninos negros eram pelés, eu tambem era, eu sabia ser negro e meu ídolo e de milhões não. Ele fez Pedro Mico, eu não, não pago para ser mico leão de ninguém, nem dos brancos que eu mais amo. Só vejo nórdicos de verdade pelo cinema, conheço bem os brancos feirantes. Nem Pelle, nem memória da Noruega insana. Esqueça os corpos dos meninos negromestiços na viela mesmo, os abutres virão buscá-los amanhã. Esqueça-os em uma canto da tela, num canto da cela, num canto da vala, da grande vala que chamamos país. Mas por favor ascendam todas as luzes do estádio, do grande estádio-nação, que o espeto humano, espetáculo mais desumano já faz tempo que começou e pelo visto, tão cedo não acabará. Só Legbara para nos salvar." Salloma Jovino Salomão Palavras belas de uma triste realidade.
http://revolution-news.com/cops-on-killing-spree-in-copacabana/

Arcaico engenho Moderno ( 1980)
" Se descem do morro favelas
É da casa grande a senzala
Que povos mendigos, Portelas
Se a porta se fecha, se cala
E sangue escorre terra afora
No páteo balança bandeira da opressão
No ontem , amanhã e agora.
Os cães e capitães do mato, de dia vigiam os lotes,
De noite saqueiam os pobres
E os grandes recolhem os cobres.
Traçando sinas e sortes
Quem deve descer ou que sobe
A quem cabe a vida ou morte
Tratados , heranças e dotes."
AM- 0013- 02.934.981/0001-70