Free website - Powered By Wix.com
Olhar/Mosaico em perspectiva de práticas e conhecimentos, políticas e artes africanas/diaspóricas. Apenas um biocaminho na esfera. Afim de experimentar toques e palavras, sons e ruídos, notas tortas e dissonâncias. Apalpando e sorvendo quase tudo, no cosmo, na Américafrolatina, quase na beira do Atlântico.Por desvelar e re-conhecer as partes e o todo na busca do estar pleno no mundo, enquanto for.

SILVA, Salloma Salomão Jovino da. Bio-caminho

salloma Salomão Jovino da Silva, "Salloma Salomão é um dos vencedores do CONCURSO NACIONAL DE DRAMATURGIA RUTH DE SOUZA, em São Paulo, 2004. Professor da FSA-SP, Produtor Cultural, Músico e Historiador. Pesquisador financiado pela Capes e CNPQ, investigador vistante do Instituto de Ciências Socais da Universidade de Lisboa. Orientações Dra Maria Odila Leite da Silva, Dr José Machado Pais e Dra Antonieta Antonacci. Lançou trabalhos artíticos e de pesquisa sobre musicalidades negras na diáspora. Segue curioso pelo Brasil e mundo afora atrás do rastros da diápora negra. #CORRENTE- LIBERTADORA: O QUILOMBO DA MEMÓRIA-VÍDEO- 1990- ADVP-FANTASMA. #AFRORIGEM-CD- 1995- CD-ARUANDA MUNDI. #OS SONS QUE VEM DAS RUAS- 1997- SELO NEGRO. #O DIA DAS TRIBOS-CD-1998-ARUANDA MUNDI. #UM MUNDO PRETO PAULISTANO- TCC-HISTÓRIA-PUC-SP 1997- ARUANDA MUNDI. #A POLIFONIA DO PROTESTO NEGRO- 2000-DISSERTAÇÃO DE MESTRADO- PUC-SP. #MEMÓRIAS SONORAS DA NOITE- CD - 2002 -ARUANDA MUNDI #AS MARIMBAS DE DEBRET- ICS-PT- 2003. #MEMÓRIAS SONORAS DA NOITE- TESE DE DOUTORADO- 2005- PUC-SP. #FACES DA TARDE DE UM MESMO SENTIMENTO- CD- 2008- ARUANDA SALLOMA 30 ANOS DE MUSICALIDADE E NEGRITUDE- DVD-2010- ARUANDA MUNDI.

sexta-feira, 14 de julho de 2017

História da Civilização Ocidental

Relações Internacionais 
História da Civilização Ocidental
Ø Tópicos do 1º semestre de 2017

Conceitos gerais de história.
1- Tradicionalmente aprendemos que a história é o processo de desenvolvimento da humanidade como um todo. Entretanto, parte dessa visão é remarcada por uma perspectiva masculina, cristã, ocidental e branca que se propagou, expandiu e mudou ao longo dos últimos 500 anos.
2- Nessa visão tradicional, o tempo de existência da “humanidade” foi didaticamente dividido em:
a) pré-história;
b) história antiga/antiguidade;
c) história medieval;
d) história moderna;
e) história CONTEMPORÂNEA.
3- Também os processos históricos dos estados nacionais são tradicionalmente divididos a partir da visão e interesse das elites nacionais locais. Especificamente a história do Brasil é subdividida nos seguintes tópicos:
a) Brasil colonial;
b) Brasil imperial;
c) Brasil republicano.
4- O teórico espanhol Manuel Castells caracteriza a sociedade contemporânea como sendo a sociedade da informação, como um desdobramento da sociedade da circulação de mercadorias ou do capitalismo industrial. Segundo Castells (https://aprender.ead.unb.br/pluginfile.php/304257/course/section/74926/A%20sociedade%20em%20rede.pdf) , a comunicação digital está produzindo uma mudança inédita e ao mesmo tempo radical entre os indivíduos, entre os grupos sociais, as corporações e os estados nacionais. 
As possibilidades abertas para intercâmbios e trocas diretas não só de conteúdos e conhecimentos, como também de culturas, visões de mundo, experiências e subjetividades. Trata-se de uma visão extremamente otimista e que não leva em consideração que esses fluxos são regulados por grandes corporações capitalistas que detêm de forma quase exclusiva as tecnologias que, em tese, operacionalizam tais fluxos.
5- Entretanto, algumas experiências recentes mostram as possibilidades efetivas do uso das tecnologias de comunicação que favoreceram a legitimidade das reinvindicações de grupos sociais excluídos, ou permitiram a mobilização política de ambos os setores sociais em situações de profunda opressão política (o fenômeno chiapas e a  “primavera árabe”).
6- Para termos uma visão crítica da história da civilização ocidental, devemos partir de nossa realidade atual, pensando em termos sociais, geográficos, culturais e econômicos. Nesse sentido, podemos caracterizar o Brasil como um estado-nação capitalista, multiétnico, com profundas desigualdades sociais como inserido no capitalismo mundial de forma subordinada e periférica. Esse mesmo país é resultado de uma ocupação de povos originados de aproximadamente 17 mil anos, e também resulta de uma violenta colonização portuguesa que teria começado, aproximadamente, à 500 anos.

7- A Globalização ou mundialização no ocidente é um fator histórico incontestável, seus efeitos, entretanto, variam entre as diferentes sociedades e regiões do mundo habitado e também desabitado. Suas consequências têm impactos culturais, ambientais, econômicos e políticos na medida em que a circulação de bens, informações, pessoas e conhecimentos transitam de maneiras totalmente desiguais.